terça-feira, 29 de novembro de 2016

Mentiras...

Eu estava pensando sobre mentirinhas e mentironas... Como elas fazem bem a nossa vida... Imagina se todo mundo falasse a verdade, de certo tudo seria um caos. Existem certos casos em que a verdade é tida como falta de limites e indelicadeza.

Daí eu tava pensando em algumas mentirinhas básicas... e resolvi citar algumas... Mas não pensei muito então porque tava com uma puta preguiça! Rs.


Algumas mentiras que não devem ser contadas...


1. Eu te amo - quando você não sabe ao certo se ama, ou já deixou de amar.


2. Ele gosta de você sim. - nunca iluda uma pessoa se não tem certeza do que está falando. Amigos adoooooram iludir.


3. Você fica bem com essa roupa - quando você sabe que a pessoa está ridícula.


4. Isso não dói - quando dói.


5. Papai noel não existe - ele existe sim!




Algumas mentiras que deveriam sempre ser contadas...


1. Vc está bonita ou Isso ficou muito bom! - Nunca chame ninguém de feio ou fale que algo está feio. Nunca aponte os defeitos pq você não é ninguém pra julgar isso e vai magoar demais o outro. Se não quer elogiar a pessoa simplesmente não fale nada.

2. Vai ficar tudo bem. - Por mais que você ache que as coisas não vão dar certo nunca desanime outra pessoa. Sempre estimule.

3. Você consegue fazer isso! -O mesmo que o de cima, se você não confia na capacidade de alguém, essa pessoa não precisa saber disso. É incrível como a pessoa chega longe quando não é desestimulada.

4. Adorei o presente, adorei a comida. Apesar de não ser a coisa mais fácil do mundo de dizer... as pessoas ficam muito tristes quando você não gosta de algo que elas demoraram anos para escolher.

5. Tá tudo bem, eu não tenho nada. Quando a gente deixa o problema pequeno a gente consegue se livrar dele mais rápido sabia?

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Publicação 1 - O diário de um término.

E enquanto estava mal, escrevia para me curar. Muitos foram os textos, ora escritos em folhas de cadernos, ora em guardanapo, ora eram frases soltas, ora textos longos, ora bem escritos, ora sem nexo algum, mas todos eles com uma coisa em comum: muuuuuuita tristeza, insegurança e confusão. 

Resolvi compartilhar para aquelas pessoas que passaram pelo mesmo que eu para que saibam que a gente sobrevive!

Coincidentemente quisera o destino que eu sorteasse o dia que resolvi ficar bem. Vamos começar?


Enquanto eu chorava e falava "não é possível aceitar o que aconteceu... Não é possível que ele não vá se arrepender. Ele precisa se arrepender" a advogada me disse uma frase que abriu meus olhos e acabou de vez com todas as minhas esperanças: 


"Juliana, é claro que ele vai se arrepender, não tenha dúvidas disso. Mas eu quero que você compare sua situação à daquelas mulheres que apanham do marido. Consegue imaginar?O problema é desse tipo de relação é que a mulher apanha e ele SEMPRE se ARREPENDE. Na hora parece se arrepender de verdade, mas passa um tempo, ele volta a bater."
Isso me quebrou. Um tapa na cara, um balde de água fria, um soco no estômago, que seja. Foi quando finalmente percebi o óbvio:  MINHA SITUAÇÃO NUNCA IRIA MUDAR.Iríamos ficar entre indas e vindas e a cada término a dor seria maior, as consequências também seriam maiores, até quando permanecer com isso? A SAÍDA SERIA ESQUECÊ-LO ANTES QUE FOSSE TARDE DEMAIS.

Minha amiga mais tarde veio falar comigo e e pude sentir uma dor nos olhos dela. Ela me disse:

"Juliana, agradeça a Deus que você pode recomeçar."

Pediu que eu olhasse a situação dela: casada há anos com uma pessoa dependente de álcool, com várias filhas, ganhando muito pouco, tendo que sustentar sua casa e não tendo para onde ir. Não podendo se dar ao luxo de falar "não quero mais". Que o certo era dar um basta agora mesmo, antes que nossa situação se complicasse.

Minha cabeça simplesmente entendeu que eu tinha que aceitar que tudo havia terminado. Eu teria que entender que a dor era natural, afinal, foram oito anos de relacionamento, não oito dias. Era um período de luto, como se alguém tivesse morrido. Ao mesmo tempo tinha aquela sensação tóxica de apego da qual eu teria que me desligar.

"Eu preciso me desligar desse apego. Eu preciso viver."
Eu preciso me desligar, eu preciso viver, mesmo que a única vontade que eu tenha é a de morrer. Não quero levantar pela manhã, não quero fazer nada. É possível mudar de planeta? Tem como sumir? Desintegrar?

---

Pois é, eu estava totalmente na BAD mesmo. Na época li um texto (ou assisti a um vídeo, não sei) que falava que o apego vinha quando você sentia falta de alguma característica em você. Você percebe que o outro tem característica X e ao conviverem juntos ele nutre essa falta em você. Também dizia que apego era falta de amor próprio e a busca desse amor no outro.

Eu na verdade não sabia o que pensar, qual era o motivo real do apego e, SE era apego mesmo né, afinal, foram oito anos de relacionamento com um fim digno de novela das 21h. 

Mas a partir desse dia eu resolvi seguir em frente.Amém.

Reativando meu insta - Vídeo que me salvou!



Ontem fiz a maior cagada do mundo: desativei minha conta ERRADA do insta. Era para apagar uma que não uso mais e na correria apaguei a minha conta atual! - Sim, eu fui IDIOTA!

O desespero aconteceu quando eu percebi que o Insta entendeu que a conta estava excluída e não encontrava mais nem meu e-mail, nem login, nem usuário, nem número de telefone, nem NADA! 

Encontrei esse vídeo que ensinou DIREITINHO o que fazer e, após 15 horas, meu insta foi reativado de novo.

Agradeço ao autor do vídeo pela dica e nada mais justo do que compartilhar aqui o seu vídeo.

Obrigada!




Experimente algo novo por 30 dias


Nossa, esse vídeo é realmente MUITO legal.

Fala sobre você se desafiar a tentar algo novo por 30 dias. Incorporar atividades ou excluir atividades (como ficar menos no facebook, por exemplo) que você deseja MUITO fazer mas que nunca se dedicou. Segundo Matt Cutts, esse exercício pode mudar vidas.

Eu tenho uma LISTA de coisas que eu gostaria de fazer, acho que vou começar!
E você? Quer fazer também?


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Estar solteira é ter a impressão de que sou uma "cadela de raça no cio"

A minha versão para o texto "O que eu aprendi sendo uma solteira que não mente" da minha ex aluna e grande amiga Giovanna Marques.



Prólogo.
Não sou apenas uma solteira que não mente, mas sim uma "pessoa que realmente não mente nem se tentar". Minha cara, minha voz e até minha forma de escrever no whats revelam o que sinto... E como HOJE completa cinco meses que "agora estou solteira e ninguém vai me segurar" (expressão riquíssima usada por uma grande pensadora contemporânea) me senti na obrigação de continuar o texto da Gi ,"ser uma solteira que não mente" e abrir o jogo!

Diferente da Gi, que tem 19 novos anos, para mim estar solteira outra vez é um tanto quanto inusitado uma vez que tenho TRINTA E TRÊS e venho de QUINZE ANOS ininterruptos de namoro: tive quatro namoros que duraram 1, 2, 4 e 8 anos (pela progressão geométrica, o próximo namorarei 16)  tendo o último um final pra lá de conturbado mas que não vem ao caso. Bem, vamos lá.

Estar Solteira Outra Vez...

Estar solteira outra vez, depois de tanto tempo, é aterrorizante.

Inverno e Netflix transformam-se em seus arqui inimigos; a chegada das férias de verão, antes tão esperadas, chega a dar náuseas; lugares de "casal" e encontros "a dois" te dão calafrios e para piorar, as lembranças costumam te perseguir nos momentos em que você menos precisa delas. É um filme de terror sem a companhia da Coca Cola aguada, da pipoca com manteiga e daquele peito para você se esconder quando começar o suspense. Parece assustador? Calma que eu nem comecei! Isso realmente não é NADA perto do que vem por aí:
Estar solteira outra vez me faz ter a impressão de que sou uma cadela no cio. 
Perdão, não me expressei bem: uma cadela de RAÇA no cio, de raça: Sabe quando alguém comenta "eu tenho uma Lhasa Apso" e sempre tem alguém que conhece "o dono de um Lhasa Apso que quer cruzar e dividir os filhotes?". É mais ou menos assim como a vida começa a ser para você, é assim como TODOS ao seu redor te tratam.

Seus amigos-que-namoram são os primeiros. Você, da noite para o dia, não é mais a "Juliana", mas sim uma "solteira fêmea"e, em todo rolê que vocês vão, seus amigos fazem questão de levar um "solteiro macho" para te fazer companhia.

 "-Vamos colocar juntos para ver se cruzam!" - deve ser a lógica.

Quando você e seus amigos-que-namoram vão a uma festa o comentário é sempre o mesmo:

- Você viu o Daniel? Ele com certeza ficou afim de você, você podia dar uma chance para ele né?
- Quem diabos é Daniel?
- Poxa, o outro solteiro da festa, você gostou dele não gostou?
*Pânico*

Ao ficar solteira, não apenas os amigos chegados, mas a família e todos ao seu redor se compadecem e engatam a missão impossível de encontrar um solteiro macho, que são diversos:

- "Quer conhecer o meu filho?"
- "Eu tenho um primo..."
- "O meu vizinho..."
- "Nossa filha, aquele seu amigo lá é seu novo namorado?" (coisa de avó)

O top do improvável foi:
-  Prô, você precisa conhecer o meu irmão, ele terminou o namoro e seria legal vocês saírem juntos."

O que teus amigos-que-namoram (e o resto do mundo) não sabem é que essa situação é extremamente constrangedora. Principalmente para nós mulheres que somos enjoadas, que reparamos na roupa, no cabelo, no sorriso, nos olhos, na mão, no corpo, na tatuagem (ou na falta de tatuagem), no dente, no sobrenome (pensou namorar alguém com sobrenome feio?), no time de futebol, no partido político, na casa de Hogwarts preferida (pensou namorar alguém que goste da Lufa Lufa ou da Corvinal? Qual a graça?), no jeito de comer, de vestir, de falar, de blá blá blá... as chances da gente gostar do cara são MÍNIMAS e é MUUUUUUUITO CHATO fazer sala para quem "o santo não bateu". 

Amigos-que-namoram entendam: nós "solteiros" sabemos que a gente está saindo para ficar de vela e aceitamos essa condição. Quando nós saímos com os amigos é porque queremos curtir os amigos. Se a gente tiver vontade de conhecer alguém a gente simplesmente falará "tem algum amigo para apresentar?".  Se a gente for numa festa e a gente tiver interesse nesse tal de 'Daniel', vocês serão os primeiros a serem procurados!
Ao resto do mundo que quer nos apresentar um cara a qualquer custo, entenda: nós somos apenas solteiras, não somos crianças da Etiópia passando fome. Não precisamos de ajuda, caridade ou compaixão. Eu agradeço, de coração, a boa vontade, mas eu prefiro que vocês me 'confortem' com um pedaço de chocolate.

#prontofalei

Agora parece assustador? 
Calma que eu ainda não acabei.

Não apenas os amigos que namoram, os familiares e o restante do mundo te vê como uma cadela no cio, ELES TAMBÉM!

Quando a gente é solteira é óbvio que o que a gente mais quer é 'um solteiro' - na cabeça deles. 

E agora começa o verdadeiro pânico:

  • Como explicar para seu amigo que não é porque está solteira que ele deixou de ser um amigo? 
  • Como explicar para um cara que você é uma pessoa simpática por natureza e não porque você está afim?
  • Como puxar assunto com alguém que você ficou sem ele achar que você é uma solteira desesperada que quer namorar, casar, mudar para o interior e ter 36 filhos?
  • Como explicar que você vai para a balada para se divertir e não para caçar alguém para terminar a noite?
  • Como explicar que não é porque você posta foto bonita na internet que você quer receber milhares de convites para sair de pessoas que você nem conhece?
  • Como explicar que você só sai toda arrumada ou com roupa curta porque você se sente bonita deste jeito? (E que roupa não é sinônimo de nada, se a mulher tiver interesse em ser fácil ela conseguirá mesmo se estiver usando uma BURCA.)
  • Como explicar que não é porque você está solteira que você gosta de levar cantada constrangedora, que está afim de ouvir papinho ruim,  que não liga de ser maltratada desde que tenha alguém para beijar, que precisa desesperadamente t****** e que se está em casa é porque quer receber ou mandar nudes!?
  • E, para finalizar, como explicar para um solteiro que está louco para namorar, que não é porque você está solteira que você tem obrigação de querer algo COM ELE?

  • Ah não, tem mais uma: e como explicar para seus amigos que não é porque você está solteira que o amigo solteiro-que-está-louco-para-namorar-com-você é a pessoa que você quer namorar ou passar os seus dias sem ser CONDENADA por isso?

Como uma solteira que não mente eu tinha que falar sobre isso. Estar solteira não é o fim do mundo: com o tempo , uma noite sozinha em casa assistindo ao Netflix para de ser uma afronta. No entanto, essa insistência massante do mundo para que você DEIXE de ser solteira, essa associação de estar solteira com tristeza ou com necessidade de se provar que as pessoas fazem, essa pressuposição masculina que você está disponível para qualquer um  (e se não estiver, é porque se acha e se estiver é porque quer casar) é SUFOCANTE.

Como uma solteira que não mente eu precisava abrir o jogo pois é algo que realmente me incomoda mas também não sou ingênua: eu sei que o mundo não vai mudar, o pensamento dos homens tão pouco, a minha família - principalmente minha avó - menos ainda e os amigos-que-namoram também não vão ("mudar por quê se estão me ajudando tanto?").

O que eu tenho que fazer apenas é dar risada e entender que é uma situação comum na vida de todas as solteiras. Já já as pessoas sossegam e acostumam comigo sendo solteira outra vez. Também tenho que me policiar para que, quando voltar a namorar, não trate minhas amigas solteiras como "cadelas de raça no cio". Mas, pensando bem, por que não? Vou ajudá-las tanto!

quinta-feira, 24 de março de 2016

Insatisfação, crise existencial? Será que você está se comparando a quem não deve?

tree-738816_1920
Há certo tempo li uma reportagem em que dizia que a OMS (Organização Mundial da Saúde) estimava que a depressão e o stress, em 2020, seriam os maiores responsáveis pelos índices de afastamento do trabalho, bem como estariam em segundo lugar no ranking das causas de morte da época.
Inconformada, incomodada e ao mesmo tempo interessada pelo assunto descobri que uma das quatro principais causas desencadeadoras da depressão estava relacionada ao trabalho: remuneração inadequada, problemas financeiros, viver sob pressão, trabalhar em uma empresa que não gosta, desgosto pela função exercida, etc.
Passei então a estudar as pessoas ao meu redor que estavam insatisfeitas com a sua vida e se achavam infelizes (em alguns momentos confesso que eu também servia como objeto para meu estudo) e percebi que estas pessoas tinham algo em comum: todas passavam, na ocasião, por uma CRISE EXISTENCIAL.
Uma crise existencial nada mais é do que um momento em que você se questiona sobre o seu papel no mundo, sobre o momento em que vive, sobre sua realização e "blá, blá, blá". O problema não é exatamente o questionamento, mas sim o DEVANEIO ILUSÓRIO que enlouquece sua cabeça (momentaneamente fragilizada) que te faz sentir-se inferior, impotente e motivado o bastante para tomar qualquer decisão estúpida e irracional.
DEVANEIO ILUSÓRIO, COMO ASSIM?
equality-1245578_1920
Toda CRISE EXISTENCIAL nasce quando há uma COMPARAÇÃO.
Você compara DOIS MUNDOS,  se o mundo comparado for, na sua concepção, pior ou igual ao seu, você segue sua vida numa boa, feliz.
Porém, quando você compara o que para você seria o "MUNDO MARAVILHOSO IDEAL" com o seu "MUNDINHO SEM GRAÇA ATUAL", pronto, instaura-se a CRISE EXISTENCIAL e logo após, o sentimento "Sou a PIOR pessoa da face da Terra".
Essa comparação pode se dar em qualquer âmbito: 
  • Profissional - porque Fulano tem dinheiro, é mais reconhecido, está realizado profissionalmente...
  • Relacionamento - porque a relação de Ciclano é mais perfeita do que a minha... Eles se dão tão bem juntos.
  • Saúde/ Estética - Porque Beltrano tem um corpo mais definido, é mais bonito, etc...
  • Família, filhos, bens materiais, local em que vive... e qualquer outra coisa que passe por sua cabeça que possa ser passível de comparação.
Partindo desse ponto, nós partimos para os DOIS tipos existentes de comparação:
  • comparação essencial - que é absolutamente necessária para nossa vida e para nosso progresso.
  • comparação burra que gera o DEVANEIO ILUSÓRIO - A comparação que, como o nome já diz, é burra e praticada por pessoas privadas (momentaneamente) de inteligência.
A Comparação Essencial
A comparação essencial é aquela comparação que é necessária porque nós somos muito limitados. Harv T. Eker em seu livro Mente Milionária diz que "se o Carvalho de 30m tivesse a mente de um ser humano, ele cresceria só 3m".
Nós humanos temos a tendência de vivermos dentro da nossa ZONA DE ACOMODAÇÃO, também chamada de zona de Segurança, ou zona de conforto. Acontece que, NA MAIORIA DAS VEZES, a pessoa nem percebe que está vivendo nesta zona, não percebe que está estagnada, não sente que está estagnada, ou simplesmente não faz ideia de como pode sair dessa amarra. Ela vive seus dias do melhor jeito que ela poderia viver naquele momento.
O que vai fazer a pessoa perceber que sua vida é uma VIDA SEM GRAÇA é a COMPARAÇÃO. O que vai servir de gatilho, de espelho e de motivação para qualquer guinada em uma pessoa limitada é fazer com que ela perceba que outra pessoa está progredindo (seja em qualquer âmbito da vida) e que ela está parada, que ela está sobrevivendo e não vivendo.
Você vai ouvir por aí que não é legal se comparar mas eu só consigo perceber casos de SUCESSO com as pessoas que utilizaram a comparação essencial. Ao perceberem que haviam entrado em sua zona de acomodação, a comparação fez com que eles:
  • Voltassem a estudar;
  • Repensassem sobre a carreira, sobre o rumo que a vida profissional estava levando e, se era aquele rumo que realmente desejavam para si;
  • Desenvolvessem a necessidade de correr atrás do que lhes traria realização, nem que para isso precisassem começar alguma coisa do zero.
  • Tomassem a coragem necessária para abrir a empresa tão sonhada;
  • Tivessem a garra desejada para desenvolver a atitude que precisavam para alavancar seus negócios;
  • Entre outros benefícios.
Ou seja, a comparação essencial é responsável por acender uma chama que estava escondida ou apagada. Ela dá visão e a motivação para sair de uma vida SEM GRAÇA e buscar planejar e dar base para o que seria uma vida maravilhosa ideal.
Logo, sempre busque essa comparação essencial. Não tenha vergonha de ser menos, de não estar pronto(a), de estar um passo atrás. Ande com pessoas que possam te dar esse empurrão, que te façam sair da mesmisse, que te mostrem como você pode sozinho(a), sair dessa vida sem graça.
A Comparação Burra, o devaneio ilusório e o fundo do poço
A receita certeira para a insatisfação e a infelicidade reside na comparação "burra", chamada por mim de Devaneio Ilusório. Um sentimento que assombra a cabeça da maioria das pessoas e tenho certeza que em algum momento da sua vida você já deve ter sentido isso.
Equação da comparação burra:

Ao contrário de uma comparação essencial, que te faz dar um UP na vida, a comparação burra te faz parecer um lixo. 
A comparação burra é aquela quando você compara seu mundo atual com um mundo ideal que:
  • Não condiz com NADA do que você idealizava até dez minutos  - OU SEJA, VOCÊ ACABA DE IDEALIZAR, acaba de colocar na sua cabeça que é ideal. Viu uma revista falando que é legal, viu um palestrante famoso falando que é legal, acaba de conhecer alguém que você admirou profundamente e PRONTO... Aquela nova situação acaba de se tornar seu MUNDO IDEAL.
  • Não condiz com nenhuma atividade que você realiza HOJE para que esse resultado possa realmente ser possível. Imagine, por exemplo, que você tenha o sonho de escrever um livro. Vê que Fulano publicou três livros e se sente incapaz por não ter nenhum. Ok. Porém, você é uma pessoa terrivelmente ocupada e NUNCA parou um dia da sua vida para escrever, nunca nem elaborou uma proposta, nem mesmo falou com uma editora... Você acha realmente que é possível se comparar à alguém que se DEDICA a esta atividade? Acha realmente que essa comparação é uma comparação inteligente?
  • Não condiz com seus valores, com o que você acredita, com o que você gosta. Ou seja, você não tem nenhum interesse real por aquilo - foi empolgação do momento baseada nas conquistas do outro. Quer exemplos? Quando você vê um profissional bem sucedido em alguma empresa em um ramo que não é do seu interesse (pode ser qualquer ramo: empresário, executivo, atleta, atriz, palestrante, médico, etc).
  • Você NÃO possui grandes conhecimentos sobre o que você quer conquistar, LOGO, você ignora defeitos ou julga que foi fácil conseguir/ chegar lá. - Quando nós olhamos os resultados nós só conseguimos ver as partes boas, parece que tudo foi fácil mesmo, mas só quem conquistou sabe o quanto teve que ralar para chegar até lá. Isso vale para quando nós olhamos para as coisas "do outro", parece que tudo é maravilhoso, mas só vivendo para saber quais defeitos e dificuldades certas coisas/pessoas/lugares possuem.
  • Você na verdade quer FUGIR de um problema ao invés de ENFRENTÁ-LO, então agarra qualquer mundo como ideal.
É por isso que chamo de COMPARAÇÃO BURRA, é por isso que eu chamo de devaneio ilusório, porque você não teve nenhuma base concreta para idealizar nada disso, então tudo parece impossível para você.
 
"Não só parece impossível, como na verdade é, porque você nunca se mexeu para ter algum êxito. Então a sensação de IMPOTÊNCIA é realmente arrasadora. E a consequência disso? Ansiedade, desespero, depressão, seguida por inação/ paralisação completa ou ação desgovernada (prato cheio para aproveitadores, pensem nisso)". Coach Juliana
 
 
Dá um Exemplo de uma comparação Burra Jú?
Tudo bem, é mais fácil entender com exemplos. As mulheres costumam usar uma comparação burra bem clássica aqui que fica fácil para qualquer pessoa entender.
yoga-241609_1920
Muitas mulheres se acham realmente horrorosas por não possuírem o corpo das ajudantes de palco do programa Pânico, as famosas Panicats.  Então você vê de um lado: produtos prometendo beleza sem esforço, pílulas milagrosas, herbatudos, shakes diversos, dieta da lua, do sol, do mar e sei lá mais do quê, programas de emagrecimento, personal trainer e tudo mais; e do outro: mulheres frustradas porque estão longe do que seu mundo ideal.
Porém... elas esquecem que: a principal (e talvez única) atividade da função de Panicat é cuidar do corpo e da sua aparência logo, uma panicat vai ficar muitas HORAS do seu dia numa academia malhando e depois, vai gastar mais HORAS do seu dia em tratamentos para o corpo, pele, cabelo, etc. Fora que vai seguir uma dieta a risca e vai investir muito dinheiro na contratação de todos os personais possíveis para manter seu corpo e sua beleza em dia POIS É ISSO que vai garantir o emprego dela.
Agora... uma mulher que trabalha em QUALQUER outra ocupação NÃO TERÁ O MESMO TEMPO que uma panicat tem para cuidar do seu corpo, a não ser que ela abdique três ou quatro horas do seu dia para isso (e lógico: abra mão de outras coisas também).
Provavelmente uma executiva vai ter que se conformar em ir na academia no máximo por 1 hora por dia (apenas para manter a saúde) POIS precisa DEDICAR TODO O RESTO DO SEU TEMPO E DA SUA MENTE com estratégias para fazer sua empresa prosperar e para fazer cursos para se desenvolver e não ficar para trás, POIS É ISSO que vai garantir o emprego dela.
Entenda, para parecer uma panicat você terá que largar tudo o que você está fazendo e realizar as atividades que uma panicat faria, daí sim, sua comparação faria sentido.
Se esta não é sua realidade, sua comparação é BURRA, é um devaneio ilusório, que não vai te levar a nada, vai manter em você com um sentimento de impotência, de inferioridade e provavelmente pode desencadear uma patologia como a depressão.
 

 Ok, mas como me livro de uma crise existencial?

Passo 1:
Pare de reclamar, de chorar, de se isolar, de dormir para fugir do mundo, de colocar indireta no facebook, de fazer seja lá o que você estiver fazendo. Nada disso vai adiantar. O mundo detesta perdedores, detesta vítimas e não pára para a gente se levantar.
 
 
Passo 2:
Fique feliz por estar passando por uma crise existencial, significa que você está crescendo e querendo evoluir.
 
 
Passo 3:
Você deve ter se comparado com alguém não é mesmo? Então reconheça se foi uma comparação essencial ou uma comparação burra. Se foi uma comparação essencial vá para o passo 4. Se foi uma comparação burra vá para o passo 5.
 
 
Passo 4:
Veja o que é preciso fazer para atingir a situação que você considera ideal. Se não souber por onde começar peça orientações para as pessoas que você admira. Veja o que as pessoas sugerem que você faça. Faça uma lista de ações. Realize. Não tem segredo.
 
 
Se você tiver dificuldades em fazer este passo 4 sozinho(a), busque um processo de coaching.
 
 
Passo 5:
Se você está sofrendo de devaneio ilusório ou comparação burra é bem provável que você demore para reconhecer ou precise de ajuda externa para enxergar isto (um amigo ou um profissional mesmo). Mas quem sabe essas perguntas lhe ajudem:
 
  • Desde quando eu quero este objetivo? Seja forte em seu argumento, se não conseguir, você não quer de verdade.
  • Porque eu decidi conquistar esse objetivo? Seja forte em seu argumento, se não conseguir, você não quer de verdade.
  • O que sentirei ao conquistar esse objetivo QUE NÃO consigo sentir hoje? Seja forte em seu argumento, se não conseguir, você não quer de verdade.
  • Como consigo adaptar minha situação atual para sentir a mesma coisa que sentiria se alcançasse esse objetivo? Se você encontrar uma forma de adaptar a situação provavelmente terá transformado sua comparação burra em comparação essencial.
  • Quero realizar este objetivo porque estou fugindo de outro problema? Esqueça, dificilmente alguém admitirá isso.
  • Faço alguma atividade hoje que me ajuda a alcançar este objetivo? Seja forte em seu argumento, se não conseguir, você não quer de verdade.
  • Conheço os pontos fracos/ os defeitos/ as limitações do meu objetivo? Se não conhecer, sugiro que conheça-os primeiro.
  • Estou disposto(a) a PAGAR O PREÇO necessário para alcançar esse objetivo? Esta resposta é a mais importante, se sua resposta for NÃO, nem adianta insistir no objetivo.
 
Passo 6:
Ao responder às questões do passo 5 você abre sua mente para seus objetivos e transforma sua comparação burra em algo tangível e realmente comparável, ou seja, passa de devaneio ilusório à uma comparação essencial.
 
 
Veja o que é preciso fazer para atingir a situação que você considera ideal. Se não souber por onde começar peça orientações para as pessoas que você admira. Veja o que as pessoas sugerem que você faça. Faça uma lista de ações. Realize. Não tem segredo.
 
 
Se você tiver dificuldades em fazer este passo sozinho, busque um processo de coaching.
 
  
Espero que esta matéria tenha servido para ajudar vocês em sua jornada.
Sucesso.

Coach Juliana.

Conheça a Coach Juliana Acessando o Site Nova Perspectiva Coaching

domingo, 27 de dezembro de 2015

Seven - 7 Minute Workout - Apps Fitness

Quem aí nunca disse: "ai não tenho tempo" como desculpa para não fazer exercícios? Bom, agora já pode inventar outra desculpa - e uma das boas - para não se exercitar diariamente, pois já existem os treinos de sete minutos!

Vamos lá, quem não tem sete minutinhos no seu dia? O legal desse treino é que você não precisa de nenhuma aparelhagem para executá-lo, permitindo que você possa treinar em qualquer lugar. Ah e sua eficácia é comprovada por estudos (texto em inglês)!

Além de evitar a fadiga de ir até a academia (e economizar a grana da mensalidade é claro!) esse treino tem muitos outros benefícios, como aumentar sua capacidade cardiopulmonar e também ajuda a prevenir diabetes, já que diminui a resistência à insulina.

É claro que você não vai emagrecer fazendo o treino de sete minutos e depois se esbaldar numa churrascaria ou num buffet de café-da-manhã, comer pizza, sorvete...SEMPRE mantenha uma alimentação saudável, incluindo frutas, verduras e legumes na sua dieta (preferencialmente, consulte um profissional de nutrição! Eu sempre gosto de falar: não fique seguindo dieta de livros e revistas, cada organismo tem suas peculiaridades).

Também é recomendado que você procure um profissional da saúde antes de iniciar atividades físicas pois, assim como nas dietas, seu corpo pode ter alguma peculiaridade que te impeça de realizar certos exercícios, além do fato de que se exercitar em casa requer, fora disciplina, uma atenção dobrada para não fazer o exercício da forma errada e causar alguma lesão.

Se você quiser saber mais sobre o treino de sete minutos e seus benefícios, leia o artigo: Estudo promete: corpo fitness com 7 minutos de exercícios

O APP SEVEN - 7 MINUTE WORKOUT 


Esse app é muito legal para quem se interessar pelo treino de sete minutos; além de ser gratuito, está disponível para Android, iOS e Windows Phone.

São 30 segundos para cada um dos 12 exercícios e 10 segundos de descanso entre eles. O app está traduzido para o português e uma voz anuncia o próximo exercício e mostra uma imagem com instruções de como realizar cada um deles. Ele possui um timer para cada exercício e anuncia quando falta 10 ou 3 segundos para acabar, também apitando quando for o momento de acabar o atual e começar o próximo (uma das coisas que eu acho muito útil pois você não precisa ficar segurando o celular para não se perder).

O app te desafia a fazer sete minutos por sete meses, e ele te dá três corações, se você deixar de fazer os exercícios por um dia já perde um coração, se perder os três, terá de começar tudo de novo. Além do treino principal, você também pode desbloquear treinos de sete minutos só para abdominal, para tríceps, bíceps e por aí vai. Você pode comprar esses treinos ou então desbloqueá-los completando os desafios e os treinos anteriores (eu ainda não desbloqueei os novos treinos, mas pelo que o app descreve você deve completar dois meses de treino - sem perder os três corações - para conseguir desbloquear um treino novo).


E aí se interessou? Baixe o app para seu smartphone:

Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=se.perigee.android.seven

iOS: https://itunes.apple.com/en/app/7-minute-workout-seven-high/id650276551?mt=8

Windows Phone: https://www.microsoft.com/en-us/store/apps/seven-7-minute-workout-challenge/9nblggh189fc

Vamos fazer o desafio? Eu já comecei! =)



sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Coach, Psicólogo ou Consultor - Que profissional eu preciso?

Apesar do Coaching estar crescendo no Brasil as pessoas ainda desconhecem ou tem muitas dúvidas sobre o processo de coaching. Uns acreditam que coaching é aconselhamento, outros que é consultoria e outros ainda acham que é semelhante a um tratamento psicológico e acham o máximo dizer "meu coaching usa instrumentos da psicologia para me tratar", "nossa meu coaching é demais, ele é psicólogo".



Gente, os três profissionais são ótimos, mas devem ser contratados em casos bem distintos. Eu poderia falar por horas sobre a diferença dos três, mas vou usar um exemplo bem didático que vai fazer você compreender rapidinho a diferença entre eles.

O Copo Está Meio Cheio ou Meio Vazio?



A função do Psicólogo é fazer você se aceitar como pessoa. Muitas vezes ele precisa apelar para a técnica da  Ressignificação. Ressignificação é fazer você dar um novo significado para as coisas ruins da sua vida para que você se torne uma pessoa mais positiva.

Sabe "o jogo do contente" da Pollyanna? A menina ganhou muletas de natal em vez da tão sonhada boneca e ficou feliz por "não ter que usar muletas"? Isto é ressignificar, é buscar o positivo no negativo. Não há NADA que você fale pr´um psicólogo que ele vai ir contra. Tudo que você disser ele vai achar legal, ele vai te aceitar como você é e fazer você se sentir feliz com qualquer decisão. Ou seja, para o psicólogo o copo está sempre meio cheio.

A função de um Consultor é o oposto, consiste em fazer você (ou sua empresa) crescer e atingir o objetivo que ELE acha interessante porque afinal de contas VOCÊ ESTÁ O PAGANDO para isso.

Então esse profissional vai sempre olhar tudo do pior jeito possível, tudo sempre estará abaixo, nada nunca estará perfeito, sempre poderia ter feito diferente, sempre há o que melhorar. Ou seja, para o consultor o copo tá sempre meio vazio.

Vou citar alguns exemplos de consultores para vocês entenderem o que estou falando:

  • Personal trainer: você se mata para conseguir trinta minutos por dia na sua agenda para ir na academia e ele te olha com aquela cara de "isso não vai adiantar nada, o certo é ficar uma hora". 
  • Nutricionista, você se mata para conseguir parar de comer tranqueira na rua e ela te fala "é, mas tá faltando alimentos com ferro". 
  • Você acaba de subir suas vendas na empresa e o especialista em marketing já está pensando em como dobrar esse resultado, porque ainda não é o bastante. 
  • O cabeleireiro sempre vai falar que o procedimento que o antigo fez não tá bom o suficiente.
  • O designer sempre vai dizer que mudaria em algo a criação, etc. 
  • Enfim NUNCA estão satisfeitos, copo sempre meio vazio.


Agora a função do Coach (Coach é como chamamos o profissional que conduz o processo de coaching) é falar "O copo está na metade. Você quer que ele encha ou que ele esvazie? Se encher o que isso trará de positivo ou negativo para você? Se esvaziar o que acontecerá? Quais ações são necessárias para encher/ esvaziar o copo?"

Ou seja, o Coach é o profissional que vai te fazer ver a realidade e te ajudar a chegar ao lugar que você está disposto a pagar o preço para chegar. 


Quando procuro cada profissional?

O Psicólogo é um profissional que é indicado para qualquer momento da nossa vida, mas principalmente é indicado quando há algum sentimento que já se tornou patológico e está te impedindo de levar uma vida plena: medo, angústia, ansiedade, mágoa, insegurança falta de amor próprio, apego, etc. 

O Consultor é um profissional técnico que vai lhe fornecer o conhecimento técnico necessário para te ajudar a alcançar algum objetivo.

O Coach é um profissional que vai trabalhar a parte mental para que você se organize e atinja um objetivo. A função do Coach é trabalhar a quebra de crenças/ obstáculos que te impedem de atingir seu objetivo.

Diferente do Psicólogo o Coach não "mexe" no seu passado, tudo que ele faz é orientado para seu futuro. É orientado para a mudança de pensamento, mudança de atitude, para a evolução. Por isso que quando um Coach percebe que há um bloqueio patológico no cliente ele deve encaminhá-lo para um psicólogo.

A proposta do Coach é que o cliente sozinho encontre a solução do seu problema, o coach serve como mediador, como assessor para que o cliente encontre a solução, então, diferente do consultor, o coach não trabalha a parte técnica.

O consultor "dá" a fórmula para o cliente, o coach faz o cliente descobrir qual fórmula que funciona com ele, e é por isso que o processo de coaching traz resultado.

Exemplificando mais ainda para entender.

Um exemplo super fácil que você vai entender muito bem a diferença entre os três profissionais.


"Quero emagrecer, o que fazer"?
Vamos supor que você queira emagrecer. Acho que pelo menos 90% das pessoas já tentaram emagrecer um dia, então esse exemplo fica fácil.

Existem dois tipos de pessoas que querem emagrecer:
  • Caso 1: A pessoa que é deprimida por causa do físico.
  • Caso 2: A pessoa que apenas quer (ou precisa mesmo) emagrecer e não consegue.

Caso 1:
Se você é aquela pessoa deprimida por conta do seu físico, que deixa de sair na rua por não se sentir bem, que pode estar começando a sofrer de anorexia ou bulimia ou algo parecido o ideal é que você busque primeiramente um psicólogo para resgatar sua auto estima. 

Caso 2:
Muito bem, você não apresenta nenhuma patologia descrita acima, apenas quer emagrecer mas não consegue de forma alguma.

Vamos lá, primeiro de tudo, concorda que você JÁ SABE o que fazer para emagrecer?

Não tem outra fórmula senão exercícios + alimentação saudável. 

Partindo disso você busca consultores para te ajudar: 
  • Um médico para garantir que você está em condições de fazer exercícios.
  • Um nutricionista para montar um cardápio equilibrado.
  • Um personal trainer para montar sua rotina de exercícios.
  • Pessoas na internet que trazem com dicas fantásticas de exercícios, cardápios, etc.
  • Grupos especializados em emagrecimento (como Vigilantes do Peso, por exemplo).

Além dos consultores você busca recursos que te ajudem
  • Aplicativos no celular para controlar calorias, medir exercícios, etc.
  • Aparelhos para sua casa como esteira, balança, peso, colchonete, etc.
  • Matricula-se na academia.
  • Vai até algum parque para correr.
  • Compra revistas do assunto como por exemplo, Boa Forma.
  • Etc.

Ok. Você tem TUDO que precisa para emagrecer e você SABE TUDO o que precisa ser feito para emagrecer, certo?

PORQUE ENTÃO NÃO VOCÊ NÃO EMAGRECE?

Concorda que há um bloqueio para que você emagreça?   É nesta hora que entra o Coach. 

O Coach não é um psicólogo que vai te dizer que você tem que se aceitar por ser gordo ( a não ser que seu objetivo seja engordar claro). O Coach não é um consultor que vai te passar um cardápio e uma lista de exercícios.

O Coach vai descobrir, através das técnicas de coaching, o que está bloqueando o seu emagrecimento e vai te ajudar a quebrar essa barreira.

A quebra desse "bloqueio" vem do próprio cliente, ele se compromete com o resultado, ele estará motivado e irá buscar meios pra atingir os objetivos e é por isso que o processo de coaching funciona e é por isso que a sessão de coaching costuma ser mais cara que a hora de um psicólogo e de um consultor.

Bem, espero que vocês possam ter entendido a diferença entre os três profissionais.
Como trabalho com Coaching percebi que as pessoas realmente não entendem essa diferença.

Em breve volto a escrever mais sobre o assunto.
Dicas e Dúvidas deixem nos comentários, ou no email dicasdecoaching@hotmail.com.

Até Mais.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

A Casa das Orquídeas, Lucinda Riley --- Dica de Leitura

Toda casa tem seus segredos e todo amor, seu preço


A Casa das Orquídeas me chamou a atenção já pela capa, quando li a sinopse então, fiquei extremamente curiosa:

"Quando criança, a pianista Júlia Forrester passava seu tempo na estufa da propriedade de Wharton Park, onde flores exóticas cultivadas pelo seu avô nasciam e morriam com as estações. Agora, recuperando-se de uma tragédia na família, ela busca mais uma vez o conforto de Wharton Park, recém-herdada por Kit Crawford, um homem carismático que também tem uma história triste. No entanto, quando um antigo diário é encontrado durante uma reforma, os dois procuram a avó de Júlia para descobrirem a verdade sobre o romance que destruiu o futuro de Wharton Park...
E, assim, Júlia é levada de volta no tempo, para o mundo de Olívia e Harry Crawford, um jovem casal separado cruelmente pela Segunda Guerra Mundial, cujo frágil casamento estava destinado a afetar a felicidade de muitas gerações, inclusive da de Júlia."

A história inicia nos mostrando a depressão de Júlia Forrester após passar por uma tragédia familiar, envolvendo seu marido e filho. Sua irmã mais velha, que há muito havia assumido o papel de cuidar e proteger Júlia, quando ambas perderam a mãe ainda muito jovens, foi buscá-la em sua casa na França e a levou para morar na Inglaterra, afim de poder exercer seu papel e ajudá-la a superar o ocorrido, mas Júlia não parece se importar mais com a vida e essas tentativas de sua irmã apenas a fazem ressenti-la.

Em uma de suas tentativa de animá-la, a irmã de Júlia a leva em Wharton Park, propriedade na qual Júlia e ela passaram muita parte da infância visitando os avós. Júlia adorava acompanhar o avô na estufa, onde ele cultivava as mais lindas plantas. Passeando pelos cômodos da mansão, ela conhece Kit Crawford, o herdeiro que agora terá que vender a mansão e seus pertences para poder quitar todas as dívidas da propriedade.

Kit encontra um diário escrito pelo avô de Júlia e ela decide entregá-lo à sua avó. A reaparição do diário em suas vidas mostra que já é hora de Júlia saber toda a verdade, e agora passamos a ler sobre Olívia e Harry Crawford e como suas vidas vão formando o destino de todos os que já moraram em Wharton Park.

A maneira como o livro é escrita é tão incrível que você nem percebe que já leu metade e já são 4 da manhã, a história é envolvente e possui muitas surpresas pelo caminho. Super recomendo a leitura!


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Destinado - As Memórias Secretas do Sr Clarke, Carina Rissi --- Dica de Leitura



Oie pessoal, espero que esteja tudo certo aí com vocês!

Venho aqui hoje com mais uma dica de leitura; acabei de terminar o livro na verdade e já tive que vir falar sobre ele.

Nos posts anteriores falei dos livros da série Perdida, da Carina Rissi: Perdida, Um Amor Que Atravessa as Barreiras do Tempo e Encontrada, À Espera do Felizes para Sempre, que narram a história de Sofia, uma garota do século XXI que acaba indo parar no século XIX onde sua amada tecnologia ainda está por ser inventada e ela tem de se virar com o que dá; por sorte ela encontra o lindo e fofo Ian Clarke que está disposto a ajudá-la.

A cada virar de página nós leitores nos apaixonamos cada vez mais pela história narrada pela Sofia, pelas personagens e certamente suspiramos e derretemos com o Sr. Clarke, desejando encontrar  um Ian Clarke pra chamar de nosso.

Destinado - As Memórias Secretas do Sr. Clarke foi lançado no dia 28 de setembro e já é o terceiro livro mais vendido de ficção (http://veja.abril.com.br/livros_mais_vendidos/). Dá uma lidinha na sinopse:

“Ian Clarke é um homem de sorte e sabe muito bem disso. Ele encontrou a felicidade que tanto almejava ao lado de sua amada (e complicada) Sofia. Não que tenha sido fácil — mas o que é simples quando o assunto é sua esposa? O destino tem sido gentil, e por essa razão Ian se esforça tanto para ser um bom marido, um bom pai, um bom irmão.
Entretanto sua felicidade começa a ruir no baile de aniversário de sua irmã, Elisa. Ian assiste, impotente, enquanto sua vida perfeita se transforma em uma terrível catástrofe. A noite é desastrosa, e Elisa, a menina que ele jurou proteger, se torna alvo de um escândalo.
Mas o pior ainda está por vir. Um assunto do passado, um pesadelo que há muito o persegue, retorna para assombrá-lo. Aterrorizado com a possibilidade de perder Sofia outra vez, Ian segue seu coração na tentativa de proteger a mulher que ama, sem se importar com as consequências. Ele só não suspeitava de que o preço a pagar seria tão alto...
Em Destinado: as memórias secretas do sr. Clarke, os leitores vão conhecer um novo capítulo da arrebatadora história de amor de Ian e Sofia — desta vez pela perspectiva desse cavalheiro que conquista corações por onde passa.”

Desta vez, a história é narrada pelo Ian, nos permitindo conhecer mais profundamente nosso querido Sr. Clarke enquanto ele descreve seus sentimentos e nos conta seus pensamentos. Mesmo não sendo narrada pela maluquinha e atrapalhada Sofia, a história não perde aquele toque de humor que torna a história tão leve e divertida, apesar de ser um pouco mais dramática que as anteriores.

Destinado - As Memórias Secretas do Sr. Clarke é envolvente, daqueles que você diz "só mais um capítulo" e quando vê já terminou o livro inteiro. E pensar que achávamos que não dava pra se apaixonar mais pelo Ian...