domingo, 23 de novembro de 2008

Como eu era babaca!

Aeee, finalmente iniciando a minha parte na campanha que a Ju propôs! Para quem não se lembra:


http://tonsdepessego.blogspot.com/2008/11/como-eu-era-babaca.html


Confesso que demorei para pensar em algo, a gente demora pra reconhecer uma babaquice que tenhamos feito, talvez por achar que somos muito bons, mas sempre tem algo ou alguém que te derruba do pedestal. Antes que você comece a imaginar "nossa essa menina deve ser super metida, chata e cheia de si" eu te digo: eu era mesmo! Ahahahaahaha. Quando pequena eu era uma chatinha, super sem noção, eu era babaca mesmo, mas acho que não a ponto de fazer um post inteiro sobre isso, porque não é conselho para ninguém, acho que uma hora ou outra você acaba percebendo o quanto ser sem noção é ridículo e não precisa ler algo aqui pra se tocar disso. Demorei mesmo pra achar uma babaquice digna de um post dessa campanha!

Uma coisa que eu tenho percebido em mim e de repente achei que seria perfeita pra esse post é o fato de eu ser super medrosa. Não confunda com medo do escuro, de aranhas, de cobras, de ser assaltada, de ficar de dp em alguma matéria, eu estou falando de medo de viver.

Quantos "momentos kodak" eu não perdi por ter ficado com receio de alguma coisa! Alguém me fazia um convite e eu ficava pensando "ahh mas vai acabar tarde, vai que acontece alguma coisa no meio do caminho? E se isso...e se aquilo...e se assado...e se cozido...e se frito?" e por fim eu deixava de aceitar e passava o dia mofando em casa por pura babaquice. E aí você começa a ver os outros se divertindo, fazendo amizades, conhecendo coisas novas, contando histórias super legais e talvez sinta até um pouco de inveja, e talvez até entre em depressão e tudo porque você teve medo das coisas ruins que podiam acontecer, mas que, sinceramente, eram um pouco improváveis.

Dirigir foi algo que eu sempre tive vontade enquanto menor de idade, tanto é que logo que fiz dezoito anos corri para a auto-escola. Nunca fui uma boa aluna, sorte do meu instrutor que as aulas de psicologia dele foram fortes, porque senão ele teria desistido da profissão. Eu era ótima na baliza! Disso não tenha dúvidas, só uma vez eu encostei no pauzinho!! Não passei de primeira no exame e passei raspando no segundo, mas isso ainda não tinha me desmotivado, assim que chegou minha carta provisória já quis sair por aí pra treinar, mas na primeira vez que entrei no carro já comecei a pensar: "e se eu levar uma multa? Até que minha carta seja permanente, melhor não sair no trânsito" ao invés de pensar em dirigir com cuidado pra não tomar uma multa! Que beleza hein? Na verdade, eu nunca pensei em dirigir sem cautela, é que eu tinha medo mesmo, do acaso. Hoje eu tenho 21 anos e ainda não dirijo direito, tenho medo de ladeiras! Se alguém me convidar para algum programa que tenha ladeiras no caminho, eu penso duas vezes! "Aahhh não posso porque eu não dirijo por aqueles lados" acho tão ridículo mas o medo me consome, tenho ataques de pânico, choro, amaldiçôo o dia que inventaram o carro e todas essas coisas! Mas até o final do ano eu terei superado isso!! Vai ver só!!

Há anos que eu morro de vontade de mudar a cor do cabelo, apesar de gostar do tom do meu cabelo, tinha dias que ele estava tão sem gracinha, mas eu sempre tive medo de fazer uma mudança que muitos disseram que foi radical. Mudar completamente! E se ficasse feio? E se meu cabelo ficasse ressecado? E se não desse pra eu fazer o retoque e começasse a parecer coisa de relaxado? Um dia meu namorado me disse "pinta aíí seu cabelo de loiro" "ahhh eu sempre quis mesmo!! Mas e se ficar feio?" "aii aí vc pinta da cor do seu cabelo de novo!" Nossa, foi um comentário tão simples, uma coisa tão óbvia e foi nesse momento que eu percebi o quanto meu medo das coisas é babaca. Fiquei anos sem fazer algo que eu realmente tinha vontade por medo de coisas tão tolas que tinha uma solução tão simples!


Não sei se consegui demonstrar a babaquice que existe em ter medo de viver, de experimentar coisas novas (tendo juízo é claro!), só sei que com isso eu consegui decepcionar pessoas, deixá-las chateadas, talvez porque elas não entendessem que na verdade o que havia por trás do acontecimento era meu medo me torturando, imagina só perder alguém especial por pensar demais e deixar o medo controlar suas decisões e atitudes? Eu acho babaca!! Então meu conselho para você que chegou até aqui: pára de pensar demais, só tenha juízo nas suas escolhas e não tenha medo de ser feliz!!