segunda-feira, 27 de abril de 2009

Arnaldo Jabor fala sobre carne e meio ambiente

"Seremos destruídos, entre outras besteiras humanas pelos punzinhos de inocentes boizinhos"

Admiro muito os textos que Arnaldo Jabor escreve, esse falando sobre diminuirmos o consumo de carne é ótimo, vale a pena muito a pena assistir!

Aposto que você que não é vegetariano já torceu o nariz, mas aqui não se fala sobre crueldade aos animais, mas sim da destruição de nosso planeta pelas emissões de gases. Muito interessante!!




E para aqueles que tem internet discada, está no limite do 3G, está no trampo ou por qualquer outra razão, não possa abrir o vídeo, vou transcrever a fala dele aqui pra vocês:

"Em primeiro lugar, porque se diminuirmos a ingestão de carne bovina, ovina ou suína, a criação extensiva de animais diminuiria, porque o consumo também baixaria, assim, haveria muito mais terra ocupada por vegetação antipoluente que consome o CO2.Além disso, e é aí que mora nosso absurdo planeta, haveria também uma diminuição de emissão de gás metano que os animais produzem em seus intestinos e que é espalhado na atmosfera.

Os cientistas calculam que tem de cair muito essa emissão de gases para evitar graves alterações climáticas como secas e elevação do nível dos mares, pode? É um beco sem saída. Se comermos muita carne, morrem as florestas e mais, os rebanhos aumentam e, senhos, com licença da palavra, os puns dos bois e vacas farão uma crescente sinfonia de gases, sufocando o planeta! Ou seja, depois de milênios de lutas e esforços, guerras, paz, grandes invenções, a arte, a cultura, a ciência, a razão, todos os orgulhos da humanidade, poderão ser destruídos pelos puns!Isso, pum, pum, pum, pararapum, pum, pum!

Quem diria! Achávemos que acabaríamos em guerra total, em ataques de et's ou queda de asteróides, não, seremos destruídos, entre outras besteiras humanas, pelos punzinhos de inocentes boizinhos, aliás, pensando bem, a humanidade não merece muito mais que isso."

25 comentários:

Juliana Amaral disse...

amore, vou ver só em casa viu. Aqui no trampo tá trampo. rs.

Juliana Amaral disse...

Ai que lindaaaaaaaaaaaaaaaaaa escreveu o texto pra eu ler. Brigadaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

(aquino servilonao tenho som memso)

Juliana Amaral disse...

Esse cara é vegetariano?
rs.

Eu acho que o certo seria 50% das pessoas do mundo serem vegetarianos pra ter um equilibrio.

Pq imagina comigo. Se todo mundo for vegetariano as plantações vão ter que aumentar concorda? Logo vão precisar de vacas e mais vacas pra produzir kilos e kilos de adubos.

O pior é que haverão mais vacas,
e mais espaço vai ter que ser devastado pra ter pasto pra alimentar as vacas...certo?

Ou seja... com ninguém matando as vacas, vamos estar contaminados pelo PUM delas do mesmo jeito.

Fora é claro os agrotoxicos... que vão ter que ficar cada vez mais potentes... Porque afinal, não poderá faltar comida.

Ou seja, acho que o meio ambiente vai constinuar ruim do mesmo jeito.

Ana Tafarello disse...

Ahhh faltou metade do texto, vou ter que editar de novo.

Mas o que você disse até tem lógica num ponto, porém, os adubos não são de inteira necessidade serem estercos, existem os adubos orgânicos também. O problema do consumo hoje em dia, é que as vacas estão sendo reproduzidas exageradamente, portanto, não matando mais as vacas no abatedouro, não significa que elas não podem morrer de outra forma certo? Não significa que elas viverão eternamente, ainda existem os predadores, e as causas naturais também, hehehehe.

No caso dos agrotóxicos, ainda não formulei uma opnião, debaterei essa mais tarde!! Mas bom ponto!!

Juliana Amaral disse...

ah sei lá esses adubos orgânicos viu... Os que são bons são esses geneticamente modificados (na verdade nao sei como é o termo certo pra isso, vc sabe?)... mas nada pra mim que é MODIFICADO faz bem rs. Já tive plantação, e nada como uma velha e boa merda de vaca cheia de nutrientes ahahahah.

Ahahahahha Ah claro que elas não serão eternas... mas elas vão demorar bem mais pra morrer. Pq não existem predadores de vacas, ainda mais quando elas ficam guardadinhas nos estábulos ahahahha.

Outra coisa... Vacas produzem leite certo? Porém, vc sabia que pra elas darem leite elas precisam ter um bezerro pra amamentar? É por isso que a vida delas é ficar prenhas, pra estar sempre produzindo mais e mais leite. O bezerro desmama e logo ja vem outro.

O que faremos com esses bezerros se ngn devorá-los?

Okey, menos bezerros, menos vacas produzindo leite e o preço do leite - fonte importantissima de alimentação - vai subir lá nas cucuias... Pensou vc pagar 80,00 por um bolo puro de chocolate só por causa do leite? Hahhahahaha

Achei o ponto de vista dele bem interessante mas não consigo imaginar a nossa vida sem carne.

Vc consegue?

Juliana Amaral disse...

ah sim, eu tb já tive vacas ahahhahaha. No nosso sítio meu pai trabalhou uma época com gado leiteiro e de corte.

E vou ser sincera, não sinto a menor saudade daquela época ahahahah.

Ana Tafarello disse...

Bom, aí eu já não sei, pq nunca tive sítio ehehehe, mas aqui em casa a gente só usa cascas de frutas e às vezes cascas de ovo e as plantinhs vão super bem por aqui...pode ir ver a floresta que tá no meu quintal ahahahaha.

Eu fiquei sabendo do processo do leite recentemente, você não acha isso cruel pra caramba? O pobre do bezerro nem aproveita o leite.

Acho que você está pensando numa escala do tipo "vamos parar já".

O problema de tudo isso está no capitalismo...queria chamar minhas amigas Renata e Vanessa que já me disseram uma vez e eu não acho que vou conseguir reproduzir tão bem quanto elas.

No caso, no capitalismo estamos falando de gerar, gerar e gerar e gerar e gerar grana, por isso precisamos dar um jeito de aumentar a produção das coisas, vamos produzir mais leites, engravidar mais vacas mais rápido e isso vai aumentando o número de animais de produção.

Ahh meu, vou convidar elas pra comentar aqui e falar melhor disso que falei aí em cima!!

Juliana Amaral disse...

Hahahahhahahahah pior que eu tô, não é o que ele sugeriu. Vamos parar já com os peidos das vacas?

Hahahahha.

Chama as meninas aí!!!!

Juliana Amaral disse...

sobre os bezerros dá dó mesmo.
Mas logo eles são alimentados com ração que tem mais vitaminas que o leite.

Mas vc sabia que a própria vaca mãe enjeita o filho quando o outro tá pra nascer. Ela esconde o leite ahahha daí o bezerro dá uns tabefes com a cabeça na teta da mãe.

ahahhahah

Ana Tafarello disse...

Tem mais é que dar tabefe mesmo!! Que mãe mais vaca essa! Huahauauahauahuahau

Van disse...

Olá Juliana!

Eu sou amiga da Ana Paula, e tb sou vehetariana há 4 anos. Estou pretendendo me tornar vegan, ou seja, além de não comer carne, também não irei consumir derivados de ovos e leite. Parece louco, né? rs. Mas essa ideologia é relacionada ás questões éticas, difíceis mesmo de serem entendidas, mas posso compartilhar para que entendam (entender não é aceitar e virar vegan, apenas para que haja uma maior interação e que possamos discutir o assunto sob o ponto de vista ético, acima de tudo).

Se todos virassem vegetarianos, isso seria um conto-de-fadas, rs. O mundo todo dificilmente adota a mesma postura em qualquer assunto, seja filosófico, religioso, ideológico, etc. Então, podemos já descartar essa hipótese que, se acontecer meeesmo, vai ser daqui as tantos milhares de anos, que até lá o ser humano ou já explodiu o planeta ou será vegetariano por necessidade, por não haver como sustentar o consumo de carne que, acredite, gera um impacto absurdo pra todas as formas de vidas - nós estamos incluídos nisso.

De qualquer forma, qualquer processo é gradual. Assim como estou há 3 anos pra virar vegan, tem pessoas que passaram 60 anos comendo carne e aos poucos foram abandonando esse hábito ou comendo bem menos. A humanidade se adapta à climas, à novas políticas e porque não à uma nova alimentação? Enfim, de qualquer modo, qualquer processo demoraria muitas centenas de anos pra acontecer. teremos muito tempo pra pensar em soluções conforme as coisas vão mudando :-)

O espaço destinado para o plantio de soja não vai pros vegetarianos, pelo o contrário, maior parte é usada na ração de bois e vacas. É a pecuária tomando espaço para criar bois e para alimentar bois, e o bife que as pessoas comem custou muito mais caro pra natureza do que um punhado de soja ou quinua. Então, para alimentar as pessoas, não precisamos desmatar mais do que já foi desmatado, mas sim usar essas terras para a agricultura e o cultivo de orgânicos. O adubo não vai faltar, pode ter certeza. Até as fezes humanas hoje em dia são tratadas em compostagem para adubagem. Parece nojento, mas é normal em outras culturas ;-) Fora os próprios restos de alimentos que não deixam de ser adubo.

Sobre a idéia de que se ninguém comer os animais, eles vão continuar soltando puns e contaminando a camada de ozônio, rs, esse é outro processo gradual tb, para diminuir o número de vacas e bois. Sabia, por exemplo, que existem mais bois do que pessoas num estado aqui no Brasil? Ou seja, temos bois além da conta porque existe DEMANDA para consumí-los (comer, usar o couro). Com a demanda caindo, a produção cai tb e poucos animais nascerão. Existem tantos animais porque é feita a inseminação artificial, cada vez mais dando hormônios de crescimento pros animais crescerem logo e parirem mais e mais, e engravidarem de novo, e nascerem mais e mais... e assim vai. Quanto mais baixo consumo de carne existir, menos a pecuária vai matar. No Brasil, morre um boi a cada 8 segundos, 8 SEGUNDOS!!! Isso é demais pra qualquer planeta. Isso é demais pra qualquer pensamento justo. É aí que entra o vegetarianismo :-)

Sobre os bezerros, as vacas leiteiras, essa é outra crueldade com os animais. Como eu disse, qualquer processo é gradual, se as pessoas param de consumir (não todas, mas um número significante), elas páram de parir, consequentemente, menos bezerros nascem. É matemático, rs.

De fato, somos a única espécie que continua mamando depis de adulto - mas nas tetas da vaca. Ok, é difícil parar de tomar leite, porque afinal, eu tb não consegui parar ainda. Eu acredito que esse desmame depois de adulto é uma das coisas mais difíceis, mas não impossíveis. Acho que esse assunto agora é tabu, mas daqui uns 20 anos estaremos falando em veganismo de cara e não primeiro parar a carne e depois as outras coisas... porque quanto mais o assunto é discutido, mais as empresas desenvolvem produtos substitutos gostosos, saudáveis e etc. Porque pro mercado tb interessa atender a população que está modificando seus hábitos. Tem pessoas que amam leite de soja, e não sentem falta de leite. Quem sabe, as empresas se aperfeiçoem cada vez mais e consigam desenvolver excelentes produtos que não deixem a desejar, né? Enfim. A mudança já começou e não tem como pará-la :-)

O leite é importante, de fato - na amamentação da criança. Eu mesma mamei até os 3 anos :-P

O importante é se alimentar com fontes de cálcio que não provém só do leite. O leite nada mais é do que uma fábula: empresas fazem o comercial de que é impossível viver sem tomar leite, e aí vem um grupo de pessoas que nunca tomaram e dizem: - ué, como estamos vivas? rs. Uma fábula. O leite é gostoso, saudável segundo todo mundo que só repete o que ouviu dos outros, mas ele é substituível SIM. Agora temos que colocar na balança se vale mais o nosso gosto pessoal ou o sofrimento dos animais praticamente sem vida, apenas parindo, bezerrinhos que nascem e são mandados pra indústria da VITELA (pesquisem pra ver o horror que é isso).

Se o que vale é perdurar um hábito, se podemos raciocinar como bons homo sapiens e agir de forma ética e respeitosa com outras vidas que sentem dores e emoções como nós. Pra mim, o respeito, aquele que detenho por outros seres que podem sofrer como eu, é o que me faz ser vegetariana. Não espero que todos pensem igual a mim, mas se as pessoas começassem a pensar em diminuir o consumo de carne, se abolissem de vez então, já seria um belo começo. Uma bela chance das coisas mudarem de fato.

Isso não é uma "vegangelização", rs, é apenas um texto tirando algumas dúvidas e mostrando porque algumas pessoas se tornam vegetarianas, como eu, a Renata e a Ana. É uma questão que vai além de só ter dó dos bichinhos - nos baseamos nos direitos inerentes que todo o ser senciente tem apenas por sentir a capacidade de sofrimento. Sim, animais tem direitos, por mais que sejam violados constantemente. Nós zelamos por isso.

Abraços,

Van - a que fala até pelos os dedos, rs.

Van disse...

Não sei se vcs gostam de Platão, de filosofia, mas se interassarem, deixo o texto "O Mito da Caverna", onde a escritora Simone Nardi usa de forma genial o texto de platão e aplica isso aos hábitos muitas vezes arcaicos, e que tememos mudar.

Texto completo no link:

http://www.pensataanimal.net/index.php?option=com_content&view=article&id=120:mito-da-caverna&catid=118:simonenardi&Itemid=1

(...)

Nesse exato momento, enquanto o "Filósofo" tenta mostrar a verdade, muitos ainda o estão ridicularizando e dizendo : "Não, isso não é a verdade, os animais foram criados para nos servir, nós precisamos de proteínas, precisamos da carne, existe o abate humanitário, sem dor, os animais não sofrem, esse bife que como, nada mais é que um simples pedaço de carne, não há vida por detrás dele, não desejo saber como ele chegou aqui, só quero fazer o que sempre fiz, agir como fui condicionado a agir, falar e pensar como me condicionaram a falar e pensar". E essas palavras continuam soprando em sua parede mental, palavras que não são dela, palavras que lhe foram ditas, imagens que lhe foram projetadas para que ela pudesse ser mais um, entre o rebanho que pensa igual, que age igual, que se sente na realidade mesmo que aprisionada pelos grilhões do comodismo e da alienação mental. Ela acredita naquilo que lhe mostram, não questiona, não vai além, não se permite pensar por si mesma, fazer algo fora disso é opor-se a sociedade e tal coisa é passível de punição, de exclusão social e ela precisa permanecer ligada a sociedade.

A verdade e a mentira são ditas a partir do critério da utilidade ligada à paz no rebanho. Assim, os gestos, as palavras e os discursos que manifestem uma experiência individual própria em oposição ao rebanho, ou não são compreendidos ou trazem mesmo perigo para aqueles que assim se mostrem.[7]

E não faltam exemplos da incompreensão dessa realidade em argumentos que atravessam os anos, repetitivos e condicionantes, além de totalmente úteis a "paz do rebanho", porém sem bases morais nos quais se fundarem. Quantas vezes não ouvimos alguém repetir frases do tipo: "Nós podemos comer carne porque muitos animais selvagens fazem isso". Não pensam, porém, no que implica buscar bases morais em seres que ela foi condicionada a crer, são inferiores a ela, seu grau de "domesticação" é tão alto que ela não consegue perceber que, ao buscar essa base moral nos animais, equipara-se a tudo o que nega a eles, descendo a uma condição que tanto busca para se distanciar dos animais, a de inferioridade e falta de capacidade intelectual. Sim, aqueles mesmos animais que nós, os acorrentados, chamamos de selvagens porque matam e porque são irracionais, nos servem agora de parâmetro ético e moral para que nos perdoemos pela morte e tortura que lhes infligimos. Mas nós podemos, porque nós somos inteligentes, nós temos nossa "própria opinião", eles o fazem porque são selvagens. Nós sabemos a verdade e encaramos como natural[8] a morte de milhões de animais. Além disso, nós não os matamos, nós somos "limpos", pagamos para que façam isso por nós. Apesar de "nossa opinião própria", que temos e é "nossa", ouvimos alguém dizer que é natural, que faz parte da cadeia alimentar, além disso, "nos foi dito" que os animais não são nada, e acreditamos, mas é "nossa" opinião pessoal, não roubamos de ninguém...

Se acreditarmos que é tudo muito natural, que os animaizinhos vivem e morrem felizes para servirem de comida, diversão, agasalhos para nós, os seres racionais, é porque estamos assistindo as sombras passando na parede da Caverna Platônica, distantes da verdadeira Luz da Sabedoria e do Conhecimento. Acreditamos que essa seja a realidade, embora não seja, e tememos mudar.

Se soubermos que eles sofrem e mesmo assim não nos preocuparmos com seu destino, precisamos parar e descobrir o que há de errado conosco. Pois se sabemos que causamos dor e aflição e apreciamos isso, talvez seja porque nos sintamos fracos para reagir, e isso é sinal de covardia, não queremos lutar contra as ondas e preferimos seguir junto com a maré, leve-nos ela para onde nos levar. O mesmo se dá se acreditamos que escolhendo vidas que devam ser salvas enquanto outras possam ser mortas, estamos sendo éticos, ainda sim estaremos nas sombras, pois estaremos usando de dois tipos de ética, a verdadeira e a utilitária . A utilitária, aquela que nos satisfaz e nos alegra e a verdadeira, aquela que valeria universalmente para todos os seres. Acreditamos ser éticos quando na verdade não sabemos o que realmente significa ética.

Se conseguirmos dar os primeiros passos para fora da Caverna, se formos capazes de nos separar dos grilhões mentais dos demais aprisionados e, se conseguimos olhar para o Sol enxergando em sua Luz, a Verdade,a Realidade, dificilmente nos omitiremos de tomar uma atitude em relação a vida. Seremos o filósofo que escapou da caverna, que através da dialética foi buscar respostas a fim de eliminar primeiramente o senso comum a visão de todos dentro da caverna, depois as hipóteses para finalmente se pautar em argumentos seguros se desvencilhando das mentiras que lhe eram impostas

Sempre haverá aqueles que não desejarão, os cegos e surdos, os egoístas, de quem nada se poderá esperar além de sombras. Mas também sempre haverá aqueles que, em meio a multidão, conseguirão erguer a cabeça e contemplar o Sol da verdade. São aqueles que não terão medo de sair da alienação mental que acorrenta a sociedade e que aprenderão a viver com a verdade ao invés de permanecer na mentira.

Einstein explicou isso de forma sutil ao dizer: "Quando uma mente se abre à uma nova idéia, jamais volta ao seu tamanho original. Quando se sai da Caverna e se enxerga a realidade, se torna impossível conviver com a mentira.

Juliana Amaral disse...

NOSSA VAN QUE COMENTARIO ENORME.
VO COMEÇAR A LER E DEPENDENDO DO QUE TIVER ESCRITO VAI VIRAR UM POST TD BEM? RS.

Juliana Amaral disse...

KCT VANESSA QUE LIVRO!!!! RS. O TEXTO DO PLATÃO VOU TER Q DEIXAR PRA LER DEPOIS MAS PROMETO QUE LEREI.

BEM, VAMOS LÁ...

Quando eu tinha uma lanchonete em Joinville um menino lá era Vegan. E me deu um livro preu ler pra que eu pudesse entender o que era e pra propor algumas idéias de lanches pra quem tinha essa filosofia (sei la como eu chamo).

Sei que nesse livro eu realmente fiquei horrorizada sobre o que fazem com os animais. Alguma coisa sobre as galinhas viverem presas e cortavam seus bicos pra uma não bicar a outra. Nossa, li tantas coisas horríveis que realmente se a gente for pensar não come mais nada mesmo.

Eu até queria parar de comer carne, dizem que a carne demora mó tempo prafazer a digestão é que é ruim no nosso organismo, principalmente a vermelha. Mas é tãããão difícil.

Principalmente quando aparece aqueles bifinhos na manteiga super cheirosos... e que não tem o menor sinal de que já foram bois.

Outro quesito dificil pra mim é não conseguir comer verduras, legumes, feijão... NOSSA... Só se tievrem no Yakissoba... Ou na sopinha da vovó rs.

É muito dificil mudar um comportamento e uma cultura... onde mais gente tem q mudar.

VANNNNNNNNNNNN MEU NAMORADO CHEGOUDEPOIS CONTINUO MINHA RESPOSTA. ENTRA MAIS TARDE. BJOSSS

Márcia disse...

Adoro o cinismo do Jabor...
Independente da filosofia sobre comer carne ou não, é muito "bizarro" que se coloque nos puns a causa para destruição do planeta... rs
Me perdoem o trocadilho... mas com tanta MERDA que o homem faz (empresas altamente poluidoras de ar e água, destruição de florestas inteiras pelas madeireiras, bombas, misseis, etc...) nada mais justo que o mundo acabar num PUM !

Van disse...

Olá Juliana :-)

Ahhh, eu me empolgo escrevendo, e pior, sou péssima com resumos, hehehehehe. Mas espero que seja uma leitura agradável, leia quando sentir vontade e, claro, quando tiver um tempinho livre ;-)
Eu entendo perfeitamente a questão da dificuldade em largar um hábito. Por isso mesmo não aponto o dedo na cara de ninguém que come carne (embora no começo eu fizesse isso, por revolta), porque eu tb tenho as minhas dificuldades. Eu fico feliz quando a pessoa pelo menos tem a consciência do que aconece com os animais para chegar aos pratos das pessoas. Acho que é uma sementinha que fica lá no fundo e vai brotando. Um dia, você pode estar mais forte e pronta pra tomar uma decisão que afeta os hábitos mais arraigados culturalmente. Mas se precisar de ajuda, força, pelo menos as amigas podem ser um amparo nessas horas.

Começar a pensar em reduzir o consumo pode ser o primeiro passo. Aos poucos, as coisas vão ficando mais fáceis, ao meu ver. Eu tb não como feijão, torço o nariz pra um monte de hrtaliços que invejo quem come, mas sempre tem alternativas, ás vezes com preparos diferentes, etc.

Ixi, chega, olha eu falando mais que os dedos de novo, hahahahaha.

Beijos, tudo de bom pra todas,
Van

Anônimo disse...

*Renata Aqui digitando ^___^*

Meninas, tudo é uma questão de habitos!
Depois de tirar as sobrancelhas pela primeira vez, pode crer,
você vai ter que continuar fazendo.
É um saco no inicio, mas com consicencia de que se deixar crescer fora das "ordi" e ficar feio, a gente tira. Depois se acustuma e isso a gente começa
a fazer e se tornar um habito.

Eu acho que, pra se tornar vegetariano você tem que se "alimentar" de informação.
Informação é poder!
Depois que você passar por um abalo (sim, a gente só vê o frango bonitinho, coradinho dentro da embalagem do mercado e não sabe o que se passa antes) aí sim você vai fazer com que sua consicencia
seja mais forte que o paladar. Depois você vê a carne como ela realmente é.

Tudo se move gradativamente. Aos poucos, as pessoas se conscientizam.
Mas para amenizar todo esse processo VOCÊ deve começar com o primeiro passo:
Diminuir o consumo de carne. A indústria existe porque as pessoas compram. Se você reduzir
o consumo de carne, você já está começando com um importante passo, o de Acontecer.
Querer a gente quer tudo, mas acontecer é o problema.
Não se preocupem com profissões de açougueiros, com os animais que
"se não comer vai encher de bicho por aí", acredite: a sociedade se adapta!

Quando você se torna vegetariano, você não deixa só de comer carne.
Você fica mais atento ao seu redor, você questiona as coisas.
Alguns dizem que os vegetarianos são Sentimentais, mas eu acho que são Racionais.
Fomos criados só pra consumir e não pensamos; esse é o problema.
Nunca gostei de legumes, desde pequena, ficava catando no prato.
Nunca fui de comer frutas, só bananas.
No entanto, depois que me tornei vegetariana, aprendi a comer alimentos novos.
Coisas que achava ruim, coisas que NEM COMIA e ACHAVA ruim!
Comer bem, livrar o animal do sofrimento, e melhorar o meio ambiente:
Começa com o que você come! ^_^

Juliana Amaral disse...

ah meninas fui ao cinema rs. Assisti "Eu te amo Cara" bobinho mas eu adoro.

Voltando...

è, vcs realmente escrevem muito (carapuça pra vc tb Rê rs) mas não tem muito o que fazer nesse assunto. esse debate é muito legal mesmo e fiquem a vontade para escrever o que quiser.

Já vou falar com a Ana pra gente preparar um post legal sobre isso baseado no que vocês escreveram.

Antes de voltar a conversar pelo amor de Deus meninas não levem a sério a idéia do adubo ahahahah. Como Arnaldo Jabour diz que o fim do planeta éo gás expelido pelas vaquinhas eu só disse que é capaz dele não acabar rs. Foi só uma piadinha com lógica rs.


Vamos lá

Então, eu dizia que é muito dificil mudar um comportamento e uma cultura...

Por exemplo, na família do Erick (namorado da Ana) acho que só ele lá é vegetariano... a mãe dele prepara pratos exclusivos pra ele. Mas isso é raro.

A gente geralmente é submetido ao gosto comum. E isso dificulta muito.

na casa duma amiga minha a mãe dela separa o lixo reciclável. Poxa eu acho isso legal p/ caramba. mas é o que eu falo, não da pra gente chegar e querer mudar o comportamento dos outros assim.

Eu pra falar a verdade não como muita carne... Só de fim de semana mesmo. Hahahaha.

Minha alimentação é pessima! Vivo de iogurte e sucrilhos rs, cafe com leite e pao com requeijão... pao com queijo, pão de queijo, bolo...

Fora que sei lá, parece que me faz mal. A combinação carne + coca cola me dá uma dor de cabeça terrível.

mas já viram que jamais tirarei o leite do meu cardápio. hahahahah. principalmente pq leite de soja é fora de questão, eu tmo akilo e passo mal uma semana inteira. Zoa todo meu estomago rs.

leite em pó ajuda em alguma coisa? rs

Bem meninas... vou parando de escrever por aki rs. Mas olha, em homenagem a vcs vou comprar um hamburguer de soja pra experimentar viu? prometo!

E vamos pensar num post legal no blog.

Só 3 últimas coisas:

1.Vcs que foram lá brigar na daslu? achei o maximo.

2. Estou perplexa e completamente enojada que nossa bosta vire adubo. Hahaha. A parte boa é que quando nossa merda virar adubo vou falar "ele nao vale a merda de come" ahahahahhaah

3. Lá na lanchonete perguntaram se eu usava bacon no feijão, pq vegan usa outra coisa no lugar. tem alguam cosia q imite o gosto do bacon é?

AH ultima coisa o que é quinua?

Ana disse...

Falei que a Vanessa e a Renata escreveriam muito melhor que eu!! Muitíssimo obrigada viu meninas???!!!

E pra falar a verdade, até que eu gostei desse negócio de nossa própria merda ser adubo? Pelo menos elas ganham uma utilidade, não só ficam poluindo os rios!!

Petrucchio disse...

Ana...mais orgânico que esterco só dois estercos.

Eu vejo, ou tento ver, irônia no que disse Jabor. Estamos sendo bombardeados com notícias apocalípticas travestidos de conhecimento científico que muitas vezes sege estritamente ideologias deixando de lado fatos e impedindo contra-provas.

Só para ilustrar...o plantio de arroz irrigado por inundação corresponde à 16% da produção de metano enquanto a pecuária produz 22%.
Se olharmos pela ótica vegetariana-ideológica, devíamos também abolir o arroz. (nesse caso muito mais os asiáticos).
Veja a fonte: http://www.cnpma.embrapa.br/projetos/index.php3?sec=agrog:::86

Também costumam ocultar os messiânicos dados e conclusões divergentes mostrando a doutrinação intencional e parcialidade condenável.
RESUMINDO: Circula muita merda dando preferência apenas ao que convém os divulgadores.

Ilustrando também essa minha afirmação, tem este linque: http://www.pecuaria.com.br/info.php?ar=1&&ver=1294

Obs.: 1 hectare = 10.000m²

Clique! ;)

Van disse...

Olá Petruchio!!

Olha, também devo concordar com você nessa questão de que há muitas pesquisas vestidas de científicas e, no entanto, são alarmes divulgados conforme a ideologia propagadas. Por isso, também acho que devemos ser questionadores até com notícias que confirmam demais aquilo que cremos. De fato, crenças não me parece ser uma boa coisa para nos apoiar, mas em dados muito questionados. Questionar sempre.

Eu volto depois pra falar disso :-)

E, pra falar a verdade, eu prefiro que usemos fontes imparciais e não do site pecuária.com.br porque também é tendencioso, também é uma opinião parcial, pois estão defendendo a produção de carne. Isso me lembra um pouco as campanhas do Instituto Pró-Carne nos metrôs de SP.
Fica difícil de acreditar, rs.

Sempre haverá os dois lados da moeda, e eu concordo que um vulcão pode emitir muto mais gases em um atividade do que toda a população humana em 30 anos. Mas os impactos naturais talvez não possamos conter, se isso de fato for natural. O que me parece é que estamos num limite humano nunca antes vivido e isso sempre preocupa. Matar um boi a cada 8 segundos só no Brasil, me parece um exagero descomunal e o cúmulo da exploração. Não gosto muito de discutir o lado ambiental, mas o lado ético da escolha de não comer animais. Pelo o lado ambiental, podemos ter uma gama de argumentos pra cada lado. Pelo o lado ético, acho difícil ser "vencido" por outro argumento. Pelo menos, é o que eu acho. É uma escolha sim, mas não é baseada numa construção na areia.

Mas a observação é muito válida: questionar sempre!

Abraços,
Van

van disse...

Oi Juliana!!
.
Respondendo às perguntas:
.
1 - Sim, fomos na Daslu protestar, hehehehehe. Fiquei lá de "tigre" apanhando do caçador. Mas foi tudo encenação e parece que os fotógrafos gostaram bastante do teatro. Saiu no jornal algumas fotos e pelo o menos pareciam bem tristes e chocantes, durante o protesto.
.
.
2 - Hahahahahaha, cocô humano como adubo dá uma certa aversão quando falamos, mas é engraçado porque em outras culturas eles tratam as próprias fezes com banheiro a seco e é super normal e ecologicamente correto, principalmente quando não se tem rede de esgoto :-P
É assim: as pessoas vão tipo naquelas latrinas, fazem cocô e jogam uma camada de cerragem por cima. Eles usam produtos naturais pro cheiro e aquilo vai fermentando, usam minhocas (porque a minhoca come o cocô e no cocô dela que se forma o húmus, o adubo). Isso faz parte de um processo chamado Permacultura - coisa que já está sendo bem divulgada aqui no Brasil, portanto, logo mais vão nos ensinar a tratar nossos cocôs, heheheheheh. Pelo menos pra aquelas pessoas que moram em sitios, chácaras, comunidades agrícolas, etc. Acho que depois entra a parte da cidade, rs.
Eu tive a oportunidade de trabalhar no Rancho dos Gnomos, um santuário ecológico que abriga animais vítimas de maus-tratos. Lá, eles revolucionaram a compostagem, tratando fezes de animais estritamente carnívoros (leões) dessa forma, coisa que antes ninguém tinha feito, porque acreditavam que por serem carnívoros e terem as fezes mais ácidas (se não me engano), não funcionaria igual. Mas deu super certo!!! É impressionante: no final o adubo sai cheirozinho, com cheiro de terra, e rico em nutrientes para o solo - eu mesma peguei na mão. Ou seja, lá eles fecharam o círculo: os animais fazem o cocôzinho deles, eles tratam isso e depois volta pra terra em forma de adubo. Tudo com cerragem e com minhocas :-P E sabe que eles estão com projeto pra adaptar um banheiro pra tratar as humanas tb? Só não fizeram por falta de patrocínio, mas acho que vai dar certo.
.
.
3 - Tem sim: tofu defumado. Olha... eu garanto que o feijão lá do santuário ecológico onde eu trabalhava era bãããão demais com tofu defumado. Parece muito com bacon sim, mas não é bacon, rs. Vale a pena experimentar, viu!! Corta uns cubinhos fininhos e cozinha com o feijão. Ixi, deu até fome agora, hehehehehe.

Bom, qualquer dúvida só perguntar, de repente, vc pode fazer alguns substitutos, ir experimentando. Fiquei super feliz em saber que vai experimentar o hamburguer de soja. Se vcs forem em SP, tem lanchonetes que vendem hamburgueres vegetarianos tb.

Bjus,
Van

Juliana Amaral disse...

NOSSA QUANTA COISA PRA PROCURAR NA INTERNET.

GENTEM HJ EU NÃO VOU CONSEGUIR MAS QUERO LER O NEGÓCIO DO PLATÃO E OS DADOS QUE O PETY DEU PREU ENTENDER A RESPEITO QUE NUNCA PESQUISEI SOBRE ESSAS COISAS.


MAS AINDA TÔ COM NOJO DESSA HISTÓRIA DO COCÔ RS.

Fábio Tadeu disse...

Nossa, quanto coment... to com preguiça de ler :P

Hahahha ja teve umas discussões sobre esse assunto no TT... uma vez a Giu postou sobre o Efeito Estufa e teve muita discussão sobre as Vacas Assassinas cheias de gases EUAHEUAHEAUUE

Legal o post ^^, bju pra vcs

Márcia disse...

Repito o que eu disse...
Adoro o cinismo do Jabor...
Independente da filosofia sobre comer carne ou não, é muito "bizarro" que se coloque nos puns a causa para destruição do planeta... rs
Me perdoem o trocadilho... mas com tanta MERDA que o homem faz (empresas altamente poluidoras de ar e água, destruição de florestas inteiras pelas madeireiras, bombas, misseis, etc...) nada mais justo que o mundo acabar num PUM !

Só agradeço pelos dinossauros estarem extintos... já pensou?