quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Sobre a lei antifumo

A partir da meia-noite do dia 7 de agosto começará a valer a lei antifumo no Estado de São Paulo. Confesso que fiquei contente ao saber da existência dessa lei, primeiramente porque eu não fumo mas toda vez que saio para algum lugar sou obrigada a fumar por tabela junto com as pessoas que acendem seus cigarros sem se importar se a pessoa do lado gosta ou não. Tudo bem, todos temos a liberdade de fazermos o que escolhemos, mas e a minha liberdade de não fumar? Se a fumaça não se espalhasse por todo o recinto, era outra história.

Sem contar também que quando vamos à um restaurante, barzinho, lanchonete e afins, antes de sairmos de casa tomamos um banho, colocamos uma roupa legal, passamos perfume, ou seja, saímos todos limpinhos e cheirosos, mas, em cinco minutos que entramos no local, alguém acende um cigarro e o cheiro, que não acho nada agradável, me desculpem, gruda em todo o seu ser, cabelos, roupas, até a roupa de baixo fica impregnada com o odor, todo o seu esforço de sair limpinho e cheiroso vai pro brejo. No dia seguinte, é preciso pendurar suas roupas no sol e deixá-las lá o dia todo, pra depois lavar, porque só assim pra se livrar por completo do odor.

E tudo isso é só uma parte do incômodo, não-fumantes acabam fumando por tabela, o que é pior. Ou seja, essa lei está protegendo os não-fumantes que não tem escolha de fugir do cigarro a não ser não frequentar lugares públicos, o que é meio difícil né.

Para saber sobre a nova lei: http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2009/08/06/ult5772u4873.jhtm