domingo, 7 de setembro de 2008

Um texto de Arnaldo Jabour

Sempre acho que namoro, casamento, romance tem começo, meio e fim.
Como tudo na vida.
Detesto quando escuto aquela conversa:
'Ah,terminei o namoro...'
'Nossa,quanto tempo?'
'Cinco anos...Mas não deu certo...acabou'
É não deu...'
Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam.
Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo,
como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ela é malhada, mas não é sensível.
Tudo nós não temos.
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro.
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é
uma delícia.
E as vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante...e se o beijo bate...se joga...senão bate...mais
um Martini, por favor...e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer.
Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto. Ele titubeia, tem dúvidas e medos mas se a pessoa
REALMENTE gostar, ela volta..
Nada de drama.
Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de
família?
O legal é alguém que está com você por você.
E vice versa.
Não fique com alguém por dó também.
obrigação, insegurança, dúvidas, por medo de como o outro ficará sem você ou medo da solidão. Pois ninguém pensará assim de você ou terá carinho e consideração quando quiser te atacar.
Nascemos sós. Morremos sós. Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu
pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói.
Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração.
Faz parte. Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta.
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar. Ou se apaixonar. Ou se culpar.
Enfim...quem disse que ser adulto é fácil?

O que nos leva a amar alguém?

Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão.

O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por uma conjunção estelar...

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem ou gosta do Caetano.
Isso são só referências.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira como os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante.

Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia ao sol, você abomina o Natal e ela detesta o Ano Novo.

Nem no ódio vocês combinam.

Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela, e ela adora implicar com você.

Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste.

Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário.

Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha.

Ele não tem a menor vocação para príncipe encantado, e mesmo assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga.

Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas.

Por que você ama esse cara?

Ah, o amor, essa raposa.

Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio, nem consulta no SPC.

Ama-se justamente pelo que o amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares. Generosos têm às pencas. Bons motoristas, bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é...!

Pense nisso.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

As alegrias e desafios de manter um relacionamento

Retirado do Jornal de Jundiaí

Quando um relacionamento começa, tudo é lindo. Ninguém tem defeito, a gente não vê a hora de encontrar o parceiro e todos os planos futuros parecem fáceis de serem alcançados. Nada no mundo tem poder para destruir o que parece ser sonho. Aí, o tempo passa e as primeiras dificuldades começam a aparecer. E você se pergunta: por que é tão difícil manter um relacionamento?

"De repente percebi que a gente estava se beijando menos, mas foi sem querer. Acho que isso não estava ligado diretamente ao término, mas ficou cada vez mais difícil", conta a fisioterapeuta Carina Oliveira.

"O beijo é mesmo o termômetro de um relacionamento, porque está diretamente ligado ao envolvimento físico, emocional e até químico de um indivíduo", explica a psicóloga e terapeuta sexual Regina Babara Massina.

Na opnião de especialistas, os relacionamentos se desgastam porque as pessoas acabam se envolvendo com o 'pacote de informações' que a o parceiro traz. "Quando começamos a namorar ou casamos, o parceiro traz consigo a família, os amigos, o trabalho e a gente acaba se envolvendo com tudo isso também, o que gera um certo desgaste, mas é impossível dissociar uma coisa da outra."

Bem, vou colocar minha opnião pessoal desse trecho. Acho que isso tudo não é uma coisa ruim que desgasta um relacionamento, pra mim isso chama intimidade. Afinal de contas, que raios de namoro essa pessoa que escreveu essa matéria quer? Ficar beijando a pessoa 24 horas por dia? O gostoso de um namoro é o companheirismo, se você quer só beijar alguém, vai na balada!!

Outro erro grave cometido pelos casais é deixar que a rotina interfira no 'namoro'. "Às vezes, as pessoas esetão tão envolvidas com casa, filho, trabalho, contas que esquecem a sua sexualidade. Dá pra fazer um carinho, ver TV de mãos dadas e outros pequenos gestos. São atos simples, que não custam nada e renovam o clima de namoro do relacionamento."

Para o advogado Alex Negro, o desgaste vem da diferença de critérios. "As pessoas não agem com o mesmo critério para definir o que querem e o que o parceiro quer. A desconfiança e a rotina também são desgastantes e não há relacionamento que resista."

Segundo Regina, outro problema facilmente observado é a ânsia de viver a paixão. Então, ao invés de cultivar a relação, as pessoas buscam um novo amor. "Primeiro é importante ver se você gosta da pessoa que está ao seu lado e se ela é a parceira com quem quer dividir a vida, ter filhos, envelhecer. Se a resposta for afirmativa, experimente o novo, proponha jogos e experiências", completa a especialista.

"Acho que quando as essoas se gostam não é impossível reconstruir a relação. É trabalhoso, às vezes parece que não vai dar certo, mas com carinho, calma e paciência, dá sim", acredita a jornalista Ana Maria Oliveira.

Sempre há tempo de recuperar uma relação, desde que haja a real intenção de construir uma história juntos. "Não dá para construir meia casa. A gente pode até construir algo menor, mas nunca pela metade", comenta a terapeuta sexual.

Se as tentativas de reacender a 'chama da paixão' não estiverem dando certo, não adie o pedido de socorro, procure ajuda profissional.