terça-feira, 29 de novembro de 2016

Mentiras...

Eu estava pensando sobre mentirinhas e mentironas... Como elas fazem bem a nossa vida... Imagina se todo mundo falasse a verdade, de certo tudo seria um caos. Existem certos casos em que a verdade é tida como falta de limites e indelicadeza.

Daí eu tava pensando em algumas mentirinhas básicas... e resolvi citar algumas... Mas não pensei muito então porque tava com uma puta preguiça! Rs.


Algumas mentiras que não devem ser contadas...


1. Eu te amo - quando você não sabe ao certo se ama, ou já deixou de amar.


2. Ele gosta de você sim. - nunca iluda uma pessoa se não tem certeza do que está falando. Amigos adoooooram iludir.


3. Você fica bem com essa roupa - quando você sabe que a pessoa está ridícula.


4. Isso não dói - quando dói.


5. Papai noel não existe - ele existe sim!




Algumas mentiras que deveriam sempre ser contadas...


1. Vc está bonita ou Isso ficou muito bom! - Nunca chame ninguém de feio ou fale que algo está feio. Nunca aponte os defeitos pq você não é ninguém pra julgar isso e vai magoar demais o outro. Se não quer elogiar a pessoa simplesmente não fale nada.

2. Vai ficar tudo bem. - Por mais que você ache que as coisas não vão dar certo nunca desanime outra pessoa. Sempre estimule.

3. Você consegue fazer isso! -O mesmo que o de cima, se você não confia na capacidade de alguém, essa pessoa não precisa saber disso. É incrível como a pessoa chega longe quando não é desestimulada.

4. Adorei o presente, adorei a comida. Apesar de não ser a coisa mais fácil do mundo de dizer... as pessoas ficam muito tristes quando você não gosta de algo que elas demoraram anos para escolher.

5. Tá tudo bem, eu não tenho nada. Quando a gente deixa o problema pequeno a gente consegue se livrar dele mais rápido sabia?

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Reativando meu insta - Vídeo que me salvou!



Ontem fiz a maior cagada do mundo: desativei minha conta ERRADA do insta. Era para apagar uma que não uso mais e na correria apaguei a minha conta atual! - Sim, eu fui IDIOTA!

O desespero aconteceu quando eu percebi que o Insta entendeu que a conta estava excluída e não encontrava mais nem meu e-mail, nem login, nem usuário, nem número de telefone, nem NADA! 

Encontrei esse vídeo que ensinou DIREITINHO o que fazer e, após 15 horas, meu insta foi reativado de novo.

Agradeço ao autor do vídeo pela dica e nada mais justo do que compartilhar aqui o seu vídeo.

Obrigada!




Experimente algo novo por 30 dias


Nossa, esse vídeo é realmente MUITO legal.

Fala sobre você se desafiar a tentar algo novo por 30 dias. Incorporar atividades ou excluir atividades (como ficar menos no facebook, por exemplo) que você deseja MUITO fazer mas que nunca se dedicou. Segundo Matt Cutts, esse exercício pode mudar vidas.

Eu tenho uma LISTA de coisas que eu gostaria de fazer, acho que vou começar!
E você? Quer fazer também?


quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Estar solteira é ter a impressão de que sou uma "cadela de raça no cio"

A minha versão para o texto "O que eu aprendi sendo uma solteira que não mente" da minha ex aluna e grande amiga Giovanna Marques.



Prólogo.
Não sou apenas uma solteira que não mente, mas sim uma "pessoa que realmente não mente nem se tentar". Minha cara, minha voz e até minha forma de escrever no whats revelam o que sinto... E como HOJE completa cinco meses que "agora estou solteira e ninguém vai me segurar" (expressão riquíssima usada por uma grande pensadora contemporânea) me senti na obrigação de continuar o texto da Gi ,"ser uma solteira que não mente" e abrir o jogo!

Diferente da Gi, que tem 19 novos anos, para mim estar solteira outra vez é um tanto quanto inusitado uma vez que tenho TRINTA E TRÊS e venho de QUINZE ANOS ininterruptos de namoro: tive quatro namoros que duraram 1, 2, 4 e 8 anos (pela progressão geométrica, o próximo namorarei 16)  tendo o último um final pra lá de conturbado mas que não vem ao caso. Bem, vamos lá.

Estar Solteira Outra Vez...

Estar solteira outra vez, depois de tanto tempo, é aterrorizante.

Inverno e Netflix transformam-se em seus arqui inimigos; a chegada das férias de verão, antes tão esperadas, chega a dar náuseas; lugares de "casal" e encontros "a dois" te dão calafrios e para piorar, as lembranças costumam te perseguir nos momentos em que você menos precisa delas. É um filme de terror sem a companhia da Coca Cola aguada, da pipoca com manteiga e daquele peito para você se esconder quando começar o suspense. Parece assustador? Calma que eu nem comecei! Isso realmente não é NADA perto do que vem por aí:
Estar solteira outra vez me faz ter a impressão de que sou uma cadela no cio. 
Perdão, não me expressei bem: uma cadela de RAÇA no cio, de raça: Sabe quando alguém comenta "eu tenho uma Lhasa Apso" e sempre tem alguém que conhece "o dono de um Lhasa Apso que quer cruzar e dividir os filhotes?". É mais ou menos assim como a vida começa a ser para você, é assim como TODOS ao seu redor te tratam.

Seus amigos-que-namoram são os primeiros. Você, da noite para o dia, não é mais a "Juliana", mas sim uma "solteira fêmea"e, em todo rolê que vocês vão, seus amigos fazem questão de levar um "solteiro macho" para te fazer companhia.

 "-Vamos colocar juntos para ver se cruzam!" - deve ser a lógica.

Quando você e seus amigos-que-namoram vão a uma festa o comentário é sempre o mesmo:

- Você viu o Daniel? Ele com certeza ficou afim de você, você podia dar uma chance para ele né?
- Quem diabos é Daniel?
- Poxa, o outro solteiro da festa, você gostou dele não gostou?
*Pânico*

Ao ficar solteira, não apenas os amigos chegados, mas a família e todos ao seu redor se compadecem e engatam a missão impossível de encontrar um solteiro macho, que são diversos:

- "Quer conhecer o meu filho?"
- "Eu tenho um primo..."
- "O meu vizinho..."
- "Nossa filha, aquele seu amigo lá é seu novo namorado?" (coisa de avó)

O top do improvável foi:
-  Prô, você precisa conhecer o meu irmão, ele terminou o namoro e seria legal vocês saírem juntos."

O que teus amigos-que-namoram (e o resto do mundo) não sabem é que essa situação é extremamente constrangedora. Principalmente para nós mulheres que somos enjoadas, que reparamos na roupa, no cabelo, no sorriso, nos olhos, na mão, no corpo, na tatuagem (ou na falta de tatuagem), no dente, no sobrenome (pensou namorar alguém com sobrenome feio?), no time de futebol, no partido político, na casa de Hogwarts preferida (pensou namorar alguém que goste da Lufa Lufa ou da Corvinal? Qual a graça?), no jeito de comer, de vestir, de falar, de blá blá blá... as chances da gente gostar do cara são MÍNIMAS e é MUUUUUUUITO CHATO fazer sala para quem "o santo não bateu". 

Amigos-que-namoram entendam: nós "solteiros" sabemos que a gente está saindo para ficar de vela e aceitamos essa condição. Quando nós saímos com os amigos é porque queremos curtir os amigos. Se a gente tiver vontade de conhecer alguém a gente simplesmente falará "tem algum amigo para apresentar?".  Se a gente for numa festa e a gente tiver interesse nesse tal de 'Daniel', vocês serão os primeiros a serem procurados!
Ao resto do mundo que quer nos apresentar um cara a qualquer custo, entenda: nós somos apenas solteiras, não somos crianças da Etiópia passando fome. Não precisamos de ajuda, caridade ou compaixão. Eu agradeço, de coração, a boa vontade, mas eu prefiro que vocês me 'confortem' com um pedaço de chocolate.

#prontofalei

Agora parece assustador? 
Calma que eu ainda não acabei.

Não apenas os amigos que namoram, os familiares e o restante do mundo te vê como uma cadela no cio, ELES TAMBÉM!

Quando a gente é solteira é óbvio que o que a gente mais quer é 'um solteiro' - na cabeça deles. 

E agora começa o verdadeiro pânico:

  • Como explicar para seu amigo que não é porque está solteira que ele deixou de ser um amigo? 
  • Como explicar para um cara que você é uma pessoa simpática por natureza e não porque você está afim?
  • Como puxar assunto com alguém que você ficou sem ele achar que você é uma solteira desesperada que quer namorar, casar, mudar para o interior e ter 36 filhos?
  • Como explicar que você vai para a balada para se divertir e não para caçar alguém para terminar a noite?
  • Como explicar que não é porque você posta foto bonita na internet que você quer receber milhares de convites para sair de pessoas que você nem conhece?
  • Como explicar que você só sai toda arrumada ou com roupa curta porque você se sente bonita deste jeito? (E que roupa não é sinônimo de nada, se a mulher tiver interesse em ser fácil ela conseguirá mesmo se estiver usando uma BURCA.)
  • Como explicar que não é porque você está solteira que você gosta de levar cantada constrangedora, que está afim de ouvir papinho ruim,  que não liga de ser maltratada desde que tenha alguém para beijar, que precisa desesperadamente t****** e que se está em casa é porque quer receber ou mandar nudes!?
  • E, para finalizar, como explicar para um solteiro que está louco para namorar, que não é porque você está solteira que você tem obrigação de querer algo COM ELE?

  • Ah não, tem mais uma: e como explicar para seus amigos que não é porque você está solteira que o amigo solteiro-que-está-louco-para-namorar-com-você é a pessoa que você quer namorar ou passar os seus dias sem ser CONDENADA por isso?

Como uma solteira que não mente eu tinha que falar sobre isso. Estar solteira não é o fim do mundo: com o tempo , uma noite sozinha em casa assistindo ao Netflix para de ser uma afronta. No entanto, essa insistência massante do mundo para que você DEIXE de ser solteira, essa associação de estar solteira com tristeza ou com necessidade de se provar que as pessoas fazem, essa pressuposição masculina que você está disponível para qualquer um  (e se não estiver, é porque se acha e se estiver é porque quer casar) é SUFOCANTE.

Como uma solteira que não mente eu precisava abrir o jogo pois é algo que realmente me incomoda mas também não sou ingênua: eu sei que o mundo não vai mudar, o pensamento dos homens tão pouco, a minha família - principalmente minha avó - menos ainda e os amigos-que-namoram também não vão ("mudar por quê se estão me ajudando tanto?").

O que eu tenho que fazer apenas é dar risada e entender que é uma situação comum na vida de todas as solteiras. Já já as pessoas sossegam e acostumam comigo sendo solteira outra vez. Também tenho que me policiar para que, quando voltar a namorar, não trate minhas amigas solteiras como "cadelas de raça no cio". Mas, pensando bem, por que não? Vou ajudá-las tanto!